19 / 06 / 2015

A Secretaria Municipal de Assistência Social e o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) está realizando durante todo o dia desta sexta-feira 19/06, a 7º Conferencia Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente. A conferencia está acontecendo na Escola Municipal da Liberdade “Paulo Freire”, de 08 a 17 horas.
 
O objetivo da conferencia o objetivo de discutir, elaborar e promover diretrizes para criação e implementação do Plano Decenal dos Direitos da Criança e do Adolescente de São João do Arraial.
 
O debate terá como base cinco eixos: Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes; Proteção e Defesa dos Direitos; Protagonismo e Participação de Crianças e Adolescentes; Controle Social e Efetivação dos Direitos e Gestão da Política Nacional dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes.
 
O CMDCA também irá escolher os delegados para conferência estadual, conforme orientação do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do adolescente (CONANDA), avaliar e compartilhar as ações e experiências do poder público municipal nas ações efetivas para crianças e adolescentes no município de São João do Arraial, além de debater a realidade desse público município.
 

15 / 06 / 2015

A organização XI FESTIVAL CULTURAL DOS COCAIS, tradicionalmente realizada de 19 a 23 de junho em São João do Arraial, sempre paralelo aos festejos de São João Batista, transferiu o evento para nova data, 01 a 04 de julho. A transferência do evento foi uma exigência da Igreja Catalítica através do conselho pastoral e do Pároco da cidade o Pe. Luís Gomes.
 
A principal alegação da igreja, é a de que os fiéis católicos participam mais dos eventos do festival, do que, dos eventos da igreja, inclusive, muitas vezes esvaziando a igreja em detrimento dos leilões e outros eventos que acontecem após as missas. Outra alegação, é a de que, muitos veem à cidade supostamente para os festejos de São João Batista, e ao chagar, participam apenas do festival, deixando os festejos do santo em segundo plano.
 
A organização do festival se defende, dizendo que o festival atrai gente tanto para o festival cultural, quanto para os festejos de São João Batista. Outra defesa, é a que o Festival Cultural é uma indústria de consumo de bens e serviços, que acontecem exclusivamente em função do festival e que beneficia principalmente os festejos como o empoderamento financeiro da população.
 
Vale ressaltar que a gestão municipal se esforçou muito para manter a tradição do festival cultural no mês de junho, paralelo aos festejos, inclusive adiando essa decisão por vários anos.  Atualmente o Festival Cultural dos Cocais é realizado pela Prefeitura Municipal de São João do Arraial e pela ASCOCAIS (Associação Cultural dos Cocais).
 

15 / 06 / 2015

Boi Bumbá, Bumba Meu Boi, Boi Calemba, Cavalo-Marinho, Bumba de reis ou Reis de boi, Boi Pintadinho, Boi de mamão, boizinho... e os nomes se multiplica de acordo com a região brasileira onde ele é brincado. Para os nordestinos é simplesmente: Bumba Meu Boi, uma das festas folclóricas mais tradicionais do Brasil, que já tem inclusive data no calendário para sua comemoração, 30 de junho, “Dia do Bumba-meu-Boi”.
 
Bumba Meu Boi, será o tema o XI FESTIVAL CULTURAL DOS COCAIS, que será realizado de 01 a 04 de julho, escolhido para pela organização. Segundo os organizadores, é uma forma de fazer um resgate das brincadeiras de boi, que aconteciam até bem poucas décadas em diversas comunidades de São João do Arraial e municípios vizinhos. 
 
Como a escolha do tema, a organização espera fazer uma espécie de resgate de muitos grupos de bois, hoje, praticamente esquecidos em São João do Arraial e nos diversos municípios da Região dos Cocais piauiense. 
 
Segundo informações colhidas com o coordenador municipal de cultura do município, e um dos responsáveis pela organização do festival, o biólogo e professor Miguel Simião da Silva, São João do Arraial já tive vários grupos que promoviam brincadeiras de boi, principalmente as comunidades Marruazinho, São José dos Órfãos, São Raimundo e Chapada Sindá.
 
Miguel Badú, explica que atualmente existem penas um boi na comunidade Olho D´água dos Negros, o “BRILHO DA NOITE”, e o “BOI BRILHO DO ARRAIÁ”, que está sendo preparado em São João como componentes remanescentes de outros bois que se acabaram com o tempo.
 
As denominações, Bumba Meu Boi, são mais comuns na Região Nordeste, e Boi Bumbá, nos Estados do Pará e Amazônia, contudo, trata-se de um folguedo brasileiro, que os historiadores acreditam, ter nascido no nordeste, por volta do início do século XVIII, misturando aspectos das culturas portuguesa, negra e indígena. 
 
A lendo do Bumba-meu-Boi, conta a história de um casal de escravos, Pai Francisco e Mãe Catirina. Grávida, Catirina começa a ter desejos por língua de boi. Para atender suas vontades, seu marido tem de matar o boi mais bonito de seu senhor. Percebendo a morte do animal, o dono da fazenda convoca curandeiros e pajés para ressuscitá-lo. Quando o boi volta à vida, toda a comunidade celebra.
 
O Bumba Meu Boi é semelhante a um auto, misturando danças, músicas, teatro e circo, combinando ainda, elementos de comédia, drama, sátira e tragédia, tentando demonstrar a fragilidade do homem e a força bruta de um boi.